logo-famart-_1_

Blog

Educação especial: conheça a modalidade de ensino e saiba como se profissionalizar na área

Você já parou para pensar na incrível oportunidade que a Educação Especial pode te oferecer? É uma área fascinante, acredite! Ela se dedica a proporcionar uma metodologia educativa especializada para pessoas com diferentes tipos de deficiência. E sabe o que é melhor? As possibilidades de atuação são muitas! 

Então, se você está buscando uma carreira estável, eu te convido a ler este artigo, vamos explorar o universo da Educação Especial e mostrar como você pode se profissionalizar nessa área tão importante. Venha descobrir todas as oportunidades que estão esperando por você! Vamos lá?  

O que é educação especial? 

A Educação Especial é uma área da educação que se dedica a ajudar pessoas com deficiência física ou mental a terem uma experiência de aprendizado igualitária. 

Existem algumas barreiras que podem limitar o aprendizado e a Educação Especial trabalha para identificá-las e garantir que essas pessoas tenham as mesmas chances de aprendizado que os demais estudantes. 

Através da criação de oportunidades de aprendizado em um ambiente mais inclusivo, os alunos com necessidades educacionais especiais devem frequentar as mesmas salas de aula que os outros estudantes. Eles participam das mesmas atividades, têm contato com os mesmos conteúdos e constroem relacionamentos com os colegas. É muito importante que essa interação aconteça. 

A Educação Especial é uma parte importante do sistema educacional. É um caminho para garantir que todos os alunos, independentemente de suas limitações, tenham uma educação de qualidade. E essa área está sempre evoluindo, impulsionada pelo movimento de educação inclusiva. 

Qual a importância da educação especial?  

A Educação Especial é essencial para combater a discriminação enfrentada pelas pessoas com necessidades educacionais especiais. Seus princípios básicos incluem o desenvolvimento integral do aluno e a garantia de uma educação de qualidade. Esses princípios se baseiam em valores democráticos, como dignidade, liberdade e igualdade. 

A normalização busca oferecer condições de vida igualitária para as pessoas com necessidades educacionais especiais. 

Já a integração propõe os mesmos direitos e deveres para todos, permitindo a participação em todos os âmbitos.

A individualização valoriza as diferenças individuais e oferece um atendimento educacional adequado a cada aluno, adaptando o ambiente e o currículo conforme necessário.

A Educação Especial também busca a interdependência sociológica, promovendo parcerias entre educação, saúde, ação social e trabalho.

A efetividade dos modelos de atendimento educacional e a legitimidade da participação dos alunos e seus representantes na elaboração de políticas são fundamentais. 

Por fim, a inclusão é um tema importante, impulsionando mudanças significativas na forma como encaramos a educação. 

A Educação Especial desempenha um papel crucial na promoção da igualdade e na valorização das pessoas com necessidades educacionais especiais.

Diferença entre Educação Especial e Educação Inclusiva

Então, vamos entender a diferença entre as modalidades. 

Educação Especial 

É oferecida preferencialmente para alunos com deficiência, transtornos globais do desenvolvimento e altas habilidades ou superdotação. Essa modalidade pode ser encontrada tanto em escolas regulares quanto em instituições especializadas. O ensino é adaptado para atender às necessidades específicas desses alunos, considerando recursos de acessibilidade e professores capacitados. 

Educação Inclusiva 

É um modelo educacional que busca garantir o acesso à escola para todos, focando na valorização e acolhimento das diferenças. Nesse modelo, todos os alunos, com suas diferentes características, aprendem juntos em um mesmo ambiente, desde a Educação Infantil até a Educação Superior. A diversidade é valorizada, levando em consideração também fatores como classe social, cor, raça e cultura

Vantagens de se profissionalizar

O mercado de trabalho para quem se dedica à esta área é vasto. Esta formação pode abrir portas em qualquer lugar do país e, além disso, é um diferencial que influencia muito no nível de remuneração do educador, que pode garantir um salário maior justamente pelos conhecimentos obtidos. 

No Brasil, ainda existem poucos educadores especiais que se dedicam exclusivamente a essa função. A demanda por esses profissionais, por outro lado, só cresce. E é por isso que o cenário para quem decide mergulhar nesse universo é bastante favorável.

A atuação ocorre tanto nas escolas quanto em diversas instituições com diferentes focos de desenvolvimento na educação inclusiva. Portanto, as possibilidades são realmente variadas. Se você já possui outra área de formação, o leque de oportunidades se amplia ainda mais. 

É claro que a docência acaba sendo o caminho mais trilhado por aqueles que escolhem um curso superior em Educação Especial e Inclusiva. Mas essa não é a única alternativa para quem concluir a graduação. Quem não quiser seguir o caminho das salas de aula pode trabalhar no apoio pedagógico especializado e nos mais diversos ambientes.

Conheça as áreas de atuação do profissional de educação especial:

1. Sala de Aula Regular (Inclusão Escolar): 

Profissionais desta área podem atuar em salas de aula regulares, trabalhando diretamente com alunos que possuam alguma necessidade educacional especial. Eles colaboram com os professores da classe regular, adaptando atividades, materiais e estratégias de ensino para atender às necessidades individuais dos estudantes.

2. Salas de Recursos Multifuncionais:

São espaços dentro das escolas destinados a atender alunos com necessidades específicas, onde os profissionais da Educação Especial desenvolvem atividades e projetos pedagógicos diferenciados para esses alunos, complementando o trabalho realizado na sala de aula regular.

3. Atendimento Educacional Especializado (AEE):

Os profissionais também podem oferecer atendimento individualizado ou em grupos reduzidos, visando trabalhar habilidades específicas dos alunos com deficiência ou transtornos do desenvolvimento.

4. Orientação para Familiares e Cuidadores: 

Além de trabalhar com os alunos, podem fornecer orientação e suporte para as famílias e cuidadores, ajudando-os a compreender melhor as necessidades e potencialidades dos estudantes e auxiliando-os na busca de recursos e serviços adequados. 

5.Instituições Especializadas:

Profissionais da Educação Especial também podem atuar em instituições especializadas, como escolas exclusivas para pessoas com deficiência, centros de reabilitação e outras organizações que ofereçam serviços educacionais e terapêuticos.

6.Instituições de Saúde: 

Em hospitais e clínicas, podem integrar equipes multidisciplinares, atuando no apoio à educação de crianças e adolescentes internados ou em tratamento de longo prazo.

7.Elaboração de Materiais Didáticos Adaptados:

Desenvolver e adaptar materiais didáticos para garantir que os alunos com deficiência tenham acesso ao conteúdo de forma adequada.

8.Coordenação e Gestão de Projetos Inclusivos:

Além de trabalhar diretamente com os alunos, podem assumir funções de coordenação e gestão de projetos inclusivos em escolas e instituições, contribuindo para a promoção de uma cultura de inclusão e acessibilidade.

9.Pesquisa e Desenvolvimento: 

Seguir carreira acadêmica, dedicando-se à pesquisa e ao desenvolvimento de novas práticas e abordagens para atender às necessidades educacionais especiais.

10.Advocacia e Defesa de Direitos:

Há também profissionais  que atuam como advogados ou defensores dos direitos das pessoas com deficiência, lutando por políticas públicas inclusivas e pela garantia do acesso à educação de qualidade para todos.

É importante ressaltar que a atuação deste profissional varia de acordo com o país, a legislação vigente e as políticas educacionais. A evolução dessas áreas de atuação acompanha as mudanças sociais e educacionais, sempre buscando promover a inclusão e o pleno desenvolvimento de cada indivíduo.

O que faz um professor de educação especial?

O professor desta área é um educador que desempenha um papel vital na inclusão de pessoas com necessidades educacionais especiais na sociedade. 

Ele é responsável por desenvolver planos de aula adaptados às necessidades de aprendizado dos alunos, buscando atividades e recursos que possam ser facilmente adaptados às necessidades educacionais de cada aluno. Além disso, colabora com orientadores educacionais, terapeutas ocupacionais, psicólogos e pais para auxiliar no desenvolvimento e na socialização das crianças.

Principais responsabilidades do profissional  

  • Avaliar as habilidades e necessidades de aprendizado dos alunos;
  • Elaborar Planos Educacionais Individualizados (PEIs) para cada aluno;
  • Colaborar com os pais e a equipe de apoio para acompanhar o progresso dos alunos.

Essas tarefas são essenciais para garantir que cada aluno receba a atenção e o suporte necessários para alcançar seu pleno potencial acadêmico e social. O professor de Educação Especial desempenha um papel fundamental no desenvolvimento e no sucesso educacional desses alunos, proporcionando-lhes oportunidades de aprendizado adequadas e adaptadas às suas necessidades individuais.   

Como se tornar um profissional de educação especial  

Para se profissionalizar na área, existem duas opções disponíveis:

Cursar licenciatura em Educação Especial. 

Essa é a forma mais rápida de ingressar nessa área. Essa formação específica fornecerá os conhecimentos necessários para lidar com as demandas e desafios da educação inclusiva.

Cursar Pedagogia e realizar uma pós-graduação em Educação Especial.

Essa rota permite uma base sólida em pedagogia, abrangendo uma variedade de áreas educacionais, e, em seguida, aprofundar-se especificamente na Educação Especial por meio de uma especialização.

Ambas as opções são válidas e cada uma tem suas particularidades. É importante refletir cuidadosamente sobre suas preferências e objetivos pessoais para tomar a decisão mais adequada. 

Como é o curso? 

O curso de Licenciatura em Educação Especial , tem duração de 4 anos. 

O objetivo do curso é formar professores para atuar nas áreas de educação, preparando o profissional para lidar com diferentes modalidades da Educação Especial, utilizando tecnologias de comunicação e informação em diversos ambientes educacionais.

Conheça algumas das matérias que envolvem o curso:  

  • Psicologia do Desenvolvimento  e Aprendizagem
  • Língua Brasileira de Sinais
  • Metodologia de Ensino em Educação Especial
  • Deficiências Múltiplas
  • Psicologia da Educação

Aqui na Faculdade Famart o curso de Licenciatura em Educação Especial, possui nota 5 no MEC. Ele é oferecido na modalidade EaD, com aulas ao vivo.  Saiba mais sobre o curso 

 

Gostou desse post? Acompanhe nossos outros artigos sobre esse tema e se aprofunde ainda mais! 

5 motivos para cursar uma pós em educação especialPós-graduação em educação especial  

Conheça a nova pós em Educação Especial da Faculdade Famart. 

5 livros sobre educação especial inclusiva para iniciantes na área. 

Filmes sobre educação especial inclusiva para iniciantes na área.